REUMATOLOGIA

A palavra Reumatismo foi introduzida por Galeno no século II depois de Cristo. Provem da palavra “rheos” que significa “fluir” uma vez que, naquela época, se acreditava que o reumatismo aparecia pelo fluxo de um “humor” vindo do cérebro até as articulações. O nome da doença Gota vem desta maneira de se pensar, que um determinado humor gotejava nas articulações.

O termo reumatismo, embora consagrado, não é um termo adequado para denominar um grande número de diferentes doenças que tem em comum o comprometimento do sistema músculo-esquelético, ou seja, ossos, cartilagem, estruturas periarticulares (localizadas próximas às articulações, tendões, ligamentos, fáscias, etc) e/ou de músculos.

Ao contrário do que ocorre com doenças cardíacas, neurológicas ou gastrintestinais, que podem ser definidas como doenças que acometem determinado órgão ou sistema, o conceito de que as doenças reumáticas são as doenças que acometem o sistema osteoarticular nem sempre é correto, pois, muitos pacientes com doenças reumáticas podem não apresentar queixas articulares, ósseas ou comprometimento de tecidos periarticulares, mas sim de órgãos diversos, como rins, coração, pulmões, pele e etc.

Apenas didaticamente, poderemos classificar as doenças reumáticas de acordo com os mecanismos de lesão ou localização preferencial da doença em:

Doenças difusas do tecido conjuntivo

Doenças que cursam com inflamação do tecido conjuntivo e que estão relacionadas aos distúrbios do sistema imunológico, que passam a reagir contra uma célula, tecido ou outro antígeno do próprio organismo:


  1. Lúpus Eritematoso Sistêmico;
  2. Artrite Reumatóide;
  3. Esclerose Sistêmica;
  4. Doença Muscular Inflamatória (Polimiosite e Dermatomiosite);
  5. Síndrome de Sjögren;
  6. Policondrite Recidivante;
  7. Doença Mista do Tecido Conjuntivo (Doença de Sharp);
  8. Síndrome do Anticorpo Antifosfolípide.

Vasculites Sistêmicas

  1. Arterite De Takayasu;
  2. Granulomatose de Wegener;
  3. Arterite Temporal;
  4. Doença de Behçet.

Espondiloartropatias

Doença inflamatória da coluna vertebral podendo ou não causar artrite em articulações periféricas e inflamação em outros órgãos como no olho:

  1. Espondilite Anquilosante;
  2. Síndrome de Reiter;
  3. Espondiloartropatia da Psoríase;
  4. Espondiloartropatia das Doenças Inflamatórias Intestinais;
  5. Espondiloartropatias Reativas.

Doenças Osteometabólicas

Doença que afetam principalmente os ossos.

  1. Osteoporose;
  2. Osteomalácea;
  3. Doença de Paget;
  4. Hiperparatiroidismo.

Doenças Articulares Degenerativas

Doenças degenerativas que afetam as articulações.

  1. Osteoartrose Primária;
  2. Osteoartrose secundária.

Artropatias Microcristalinas

Doenças articulares causadas por microcristais:.

  1. Gota;
  2. Condrocalcinose;
  3. Artrite por hidroxiapatita;
  4. Artrite por outros microcristais.

Artropatias Reativas

Doenças articulares causadas por microcristais:.

  1. Artrites Infecciosas;
  2. Osteomielite;
  3. Artrite Reativa;
  4. Febre Reumática;
  5. Doença de Lyme.

Reumatismos Extra-articulares

Doenças que acometem estruturas próximas às articulações, mas não afetam a articulação propriamente dita:

  1. Fibromialgia;
  2. Dor Miofascial;
  3. Tendinites;
  4. Bursites;
  5. Esporões do calcâneo;
  6. Fasclíte Plantar;
  7. Epicondilite.

Artrites Intermitentes

Doenças que acometem estruturas próximas às articulações, mas não afetam a articulação propriamente dita:

  1. Febre Familiar do Mediterrâneo;
  2. Reumatismo Palindrômico;
  3. Hidrartrose Intermitente.

Artropatias secundárias e outras doenças não-reumáticas

Queixas osteoarticulares que podem ocorrer na evolução de outras doenças:

  1. Diabetes mellitus;
  2. Hipotiroidismo;
  3. Hiperteiroidismo;
  4. Tumores.

As causas, tratamentos e conseqüências das diversas doenças reumáticas podem ser muito diferentes, razão pelo qual se torna importante saber qual a doença de cada paciente, ao invés de simplesmente classificar como tendo uma doença reumática.

 Os termos “reumatismo” ou “doença reumática”, na realidade, nada significam, pois não são diagnósticos.

O médico deve procurar identificar qual doença que cada paciente tem.

 Quando alguém diz que tem artrite significa apenas que tem inflamação da articulação, que pode ser evidenciado por dor, edema (inchaço) e calor na junta. A artrite é uma manifestação comum à maioria das doenças reumáticas que comprometem as articulações.

Portanto, artrite não é um diagnóstico. O paciente deve procurar saber o diagnóstico exato de sua doença e não se satisfazer com o diagnóstico de “reumatismo”, “doença reumática” ou de “artrite”.

 Muitas dessas doenças são de evolução crônica e necessitam tratamento prolongado, mas a evolução e o prognóstico são muito variáveis de doença para doença e de paciente para paciente. Assim ao contrário do que se diz popularmente não é uma “doença de velho”, mas sim pode também acontecer em qualquer idade, inclusive em crianças recém-nascidas.

Como o tratamento dependerá do tipo de doença e do paciente em si, o diagnóstico correto e o tratamento adequado é fundamental para um prognóstico mais favorável.

 O diagnóstico precoce (“o quanto antes”) é de suma importância para um a boa evolução da doença, evitando complicações que podem incapacitar o paciente de forma definitiva. Por isso, a busca do especialista é essencial.

Esperamos com isso preencher as necessidades do público em geral, não só no conhecimento de sinais e sintomas dessas doenças, mas sobretudo na importância de procurar o especialista correto para elas, qual seja o REUMATOLOGISTA.

Autoria: Sociedade Brasileira de Reumatologia

www.reumatologia.com.br